18 de dez de 2009

Passeio Lúdico Espanha


Quando viajamos, nosso olhar brinca com toda a intensidade do tempo do ócio, do desfrute. E neste estado de vagueza encontra novos sentidos. Deixo aqui alguns registros de olhares desocupados a passeio pela Espanha.

11 de dez de 2009

Burbujas de jabón en Barcelona


Aprendi recentemente com meu amigo Aníbal Fonseca uns truques da física para deixar bolhas de sabão mais resistentes. O segredo está no preparado que leva água, detergente com alta dose de glicerina, se não tiver, precisa adicionar um pouco mais de glicerina líquida encontrada em farmácia e um pouco de glucose de milho (Karo) ! Outro truque para fazer bolhas resistentes aprendi com Renata Meirelles, basta acrescentar um pouco de baba de quiabo ao detergente! Isto mesmo! Vivendo e aprendendo a boa desocupação que é soltar bolhas pro ar!

Vejam só um novo jeito de fazer bolhas de sabão que filmei nas ruas de Barcelona.

10 de dez de 2009

CreARToledo - España



Aqui vai um pouco da experiência de trabalho com jogos em Toledo - Espanha que fez parte de um projeto maior de Simetrías Fundación Internacional y AECID, envolvendo jovens a criar sua cidade através das artes visuais (pinturas, esculturas, grafite, instalações), de performance (música, dança, teatro), dos meios audiovisuais, da moda e dos jogos e instalações lúdicas.

16 de out de 2009

5 de out de 2009

Mapa do Brincar

A Folhinha de São Paulo inaugurou no dia 03/10/09 o site Mapa do Brincar, que nasce do desejo de Gabriela Romeu em mobilizar muitíssimas contribuições de pessoas e crianças de todo o Brasil e ainda conta com a participação muito especial da querida Renata Meirelles, que anda produzindo tantas preciosidades lúdicas ultimamente!

Muito bom participar de iniciativas lúcidas que trazem o brincar para a pauta do dia!


www.folha.com.br/092732

2 de out de 2009

Terça Lúdica : Brinquedos e Brincadeiras da Amazônia


[Clique na imagem para ampliá-la]

Brincar, brincar e...Brincar!

a proposta metodológica das Terças Lúdicas é brincar... Participar de experiências estéticas, criativas, culturais e lúdicas que retomem no adulto a experiência arrebatadora que é o brincar para a criança.

Faz tempo que estava ensaiando organizar este espaço que foi possível com o apoio da querida amiga e sócia Lala Deheinzelin que nos abrigou no salão de muito bom astral no Espaço Crie Futuros, espaço de se sonhar com universo de possibilidades e futuros desejáveis. Eu desejo um futuro mais brincante! Por isso vivo meu presente a brincar, a sonhar.

E o sonho da Terça Lúdica pôde ser inaugurado no dia 29/09/2009 com o astral de pessoas muito queridas que toparam entrar nesse jogo! Muito obrigada pela companhia!

Desejo muitos outros encontros pelo brincar! E deixo no blog um pouco do registro do que foi essa Terça Lúdica de inauguração com jogos africanos.

13 de set de 2009

Bolo de Amoras


Acordei cedo. Colher amoras no quintal para preparar um bolo para o café da manhã me fez lembrar o Omelete de Amoras que o Walter Benjamin preparou para compartilhar sabores essenciais à vida.

Omelete de Amoras - Walter Benjamim

Esta velha história, conto-a àqueles que agora gostariam de experimentar figos ou Falerno, o borscht ou uma comida camponesa de Capri. Era uma vez um rei que chamava de seu todo poder e todos os tesouros da Terra, mas apesar disso, não se sentia feliz e se tornava melancólico de ano a ano.

Então um dia, mandou chamar seu cozinheiro particular e lhe disse: - Por muito tempo tens trabalhado para mim com fidelidade e tens servido à mesa os pratos mais esplêndidos, e tenho por ti afeição. Porém desejo agora uma última prova de teu talento. Deves me fazer uma omelete de amoras tal qual saboreei há cinquenta anos , em minha mais tenra infância. Naquela época meu pai travava guerra contra o perverso vizinho do oriente. Este acabou vencendo e tivemos que fugir. E fugimos, pois, noite e dia, meu pai e eu, até chegarmos a uma floresta escura. Nela vagamos e estávamos quase a morrer de fome e fadiga, quando por fim, topamos com uma choupana. Aí morava uma vovozinha, que amigavelmente nos convidou a descansar, tendo ela própria, porém, ido se ocupar do fogão, e não muito tempo depois estava à nossa frente a omelete de amoras. Mal tinha levado à boca o primeiro bocado, senti-me maravilhosamente consolado, e uma esperança brotou em meu coração. Naqueles dias eu era muito criança e por muito tempo não tornei a pensar no benefício daquela comida deliciosa. Quando mais tarde mandei procurá-la por todo o reino, não se achou nem a velha nem qualquer outra pessoa que soubesse preparar a omelete de amoras. Se cumprires este meu último desejo, farei de ti meu genro e herdeiro de meu reino. Mas, se não contentares, então deverás morrer. - Então o cozinheiro disse: Majestade, podeis chamar logo o carrasco. Pois na verdade, conheço o segredo da omelete de amoras e todos os ingredientes, desde o trivial agrião até o nobre tomilho. Sem dúvida, conheço o verso que se deve recitar ao bater os ovos e sei que o batedor feito de madeira de buxo deve ser sempre girado para a direita de modo que não nos tire, por fim, a recompensa de todo o esforço. Contudo, ó rei, terei de morrer. Pois apesar disso, minha omelete não vos agradará ao paladar. Pois como haveria eu de temperá-la com tudo aquilo que, naquela época, nela desfrutastes: o perigo da batalha e a vigilância do perseguido, o calor do fogo e a doçura do descanso, o presente exótico e o futuro obscuro. - Assim falou o cozinheiro. O rei, porém, calou um momento e não muito tempo depois deve tê-lo destituído de seu serviço, rico e carregado de presentes.

Walter Benjamin - Obras Escolhidas vol II - Rua de Mão Única -Editora Brasiliense

Colhendo amoras no alto da escada com a copa carregada de frutos, lembrei da sensação amor a primeira vista quando estava escolhendo a casa onde ia morar e topo com a amoreira frondosa no jardim dos fundos. Sem ver o resto do imóvel, já sabia que era nesse lugar que queria ficar.

Lembrei do presente que foi a primeira colheita, que segundo conta meu vizinho oriental, só se deu no ano em que me mudei para a casa. Quanta geléia, sorvete, doce e até omelete rendeu! E quantas outras delícias se renovam a cada ano, compartilhadas com amigos e familiares!

Ainda recordei de quando estava triste tempos atrás com o fato de ter chegado em casa e encontrado a porta arrombada e pertences levados e a sábia Monique Deheinzelin me pergunta: "Adri, os ladrões levaram a sua amoreira?" Sorri internamente, como um brinde à vida.

10 de set de 2009

Toumani Diabate

Quantas brincadeiras não tem no dedilhar do kora, instrumento de voz íntima do africano Toumani Diabate!

http://www.youtube.com/watch?v=PrEPm04v9Mk&feature=related

6 de set de 2009